Entendido

Cookies

Usamos cookies para melhorar sua experiência, marketing digital e análise de uso.

Notícias

Desafios do software e do design da aceleração tecnológica no GeneXus Live

Na última quinta-feira, 21 de outubro, foi realizada a edição de GeneXus Live Enterprise Low-Code 2021. Foram abordados aspectos essenciais do campo tecnológico global; e também como as soluções digitais e rápidas são respostas que a indústria de software pode dar em situações complexas, tanto em meio a uma crise planetária, quanto para desenhar um novo mundo que apoie a sustentabilidade.

A aceleração tecnológica é outra consequência da pandemia, pois o software é um grande protagonista nesta fase de transição que, como sociedade, estamos vivendo. Ao mesmo tempo, o software passou por sua própria transformação e ao longo da história foi aplicado para resolver problemas cada vez mais sofisticados. Nesse sentido, estamos em um cenário em que “precisamos cada vez mais de software, mas fazê-lo é cada vez mais complexo”, disse Nicolás Jodal, CEO da GeneXus, para nos apresentar em um palestra online onde, por pouco mais de uma hora e meia, questões atuais e tendências foram abordadas.

Quanto à capacidade de GeneXus de resolver esta situação, de fazer softwares extremamente complexos, com muita rapidez e a um custo razoável: “O exemplo que lhes contei no GeneXus Live ano passado foi a aplicação CoronaVirus. CoronaVirus UY foi um aplicativo que lançamos na primeira semana quando a pandemia começou no Uruguai (...) Hoje é usado por 2,7 milhões de uruguaios em uma população uruguaia total de 3,4 milhões. Então, se tirarmos quem não tem celular, praticamente todos os uruguaios usam o aplicativo. Nesse período de um ano e meio, foram feitas 20 versões sucessivas. É um exemplo comprovado da capacidade de GeneXus em fazer tais soluções”, destacou Jodal.

 



O CEO de GeneXus lembrou também o desafio tecnológico que a pandemia trouxe até 2021, que era resolver, em muito pouco tempo, a capacidade de um sistema de vacinas não escalável para programar todos os uruguaios ao mesmo tempo (porque era uma situação que nunca tinha acontecido): “Tivemos que construir um software, mas não tivemos tempo de começar do zero. Então, além da velocidade que tínhamos que ter, tínhamos o grande desafio de nos integrar com um sistema que já existia. (...) Ainda me lembro do dia em que esse sistema entrou em produção. Conseguimos cadastrar 800.000 uruguaios em um período de três horas. Sem ficar saturado, o sistema resistiu a tudo perfeitamente”.
Gisela Bertelli, SVP Sales de GeneXus, falou sobre a expansão que GeneXus continua tendo em nível global e em passos acelerados: “No ano passado, compartilhei com vocês que seis novos mercados adotaram nossa tecnologia: Curaçao, Jamaica, Cabo Verde, Malásia, Singapura. Este ano, temos o orgulho de informar que oito novos mercados estão ingressando: Holanda, Suriname, Ilhas Cayman, Filipinas, Irlanda, Grécia, Eslovênia e Trinidad e Tobago”, territórios que passaram a adotar a plataforma Low-Code uruguaia e se juntam a mais de 50 países que já usam GeneXus.

 


Por sua vez, Gustavo Carriquiry, COO da GeneXus, falou sobre diversos cases implantados no Brasil, China, Estados Unidos, Inglaterra, Japão e México; que representam a flexibilidade, velocidade e agilidade do software como qualidades necessárias para atender a soluções de missão crítica.

Super Apps, Mini-programs e outras novidades tecnológicas


As inovações tecnológicas, organizadas nos seguintes pilares: Design e Multiexperiência, Integração e Evolução, Missão Crítica e Expanded DevOps; Vieram das mãos de Gastón Milano (CTO de GeneXus) e Armin Bachmann (Product Manager de GeneXus).
Um dos momentos marcantes foi o anúncio de um novo Gerador GeneXus de Miniprogramas para Wechat (a aplicação multiuso chinesa que oferece serviços de mensagens e chamadas gratuitas, redes sociais, um sistema de pagamento online, entre outros serviços), e o fato de GeneXus ser a primeira plataforma Low-Code a desenvolver Super Apps nativos.

Uma nova parceria com a Veracode (empresa líder em segurança de aplicações) e outras funcionalidades para garantir a segurança do código foram anunciadas no Evento; entre várias novidades tecnológicas que podem ser vistas no site GeneXus Live.
Unanimo.design: A nova empresa que une design e desenvolvimento de software
Outro ponto forte do evento foi o anúncio de Jodal sobre a Unanimo.design, a nova empresa que surgiu como spin-off de GeneXus e busca reunir designers e desenvolvedores de software para criar e implementar designs cada vez mais complexos, multicanais e com maior qualidade.

“Multi-experiência e como as interações são projetadas são cada vez mais importantes; Há um grande desafio na integração entre designers e desenvolvedores, por isso criamos o Unanimo Design, para ajudar quem desenvolve a ter designs cada vez mais sofisticados”, disse Jodal, após anunciá-lo.

Ouse projetar um mundo melhor 

Quase no final, Breogán Gonda, Presidente do Conselho de GeneXus, transmitiu uma mensagem calorosa e prática: “As necessidades do mercado pós-pandêmico são enormes e sejam quais forem, nós as resolveremos (...) Todos sabem o que fazer. "Mas o fundamental é nos animar. Se nos animarmos, teremos um tremendo sucesso nos próximos anos. Então, vamos nos animar!", disse incentivando a utilização das ferramentas tecnológicas disponíveis, às quais ele próprio deu origem há mais de 30 anos.
 

No final da apresentação, Jodal voltou com um tema que o apaixona, a revolução que se dará exponencialmente na passagem dos carros a combustão interna para os veículos elétricos e convidou um dos protagonistas desta revolução para falar sobre isso: Javier Verdura, um dos primeiros funcionários da Tesla Motors e atualmente diretor de design de produto.

Verdura falou sobre o papel do design na Tesla, o impacto do design na vida e no consumo e o objetivo de projetar para melhorar a vida das pessoas e do mundo: “A missão da Tesla é acelerar a transição global para a energia sustentável", disse. Para o designer da Tesla, o design é essencial para o desenvolvimento de uma empresa, hoje, por sua vez, pensando em projetar um mundo melhor e deter o aquecimento global, e se fosse dar um conselho a um estudante de design eu diria: “Acho que os vinte e poucos anos que passei projetando produtos de consumo teriam sido mais bem usados ​​para fazer algo que beneficiasse o planeta. Todos nós precisamos de coisas. Precisamos de um telefone, precisamos de um computador, precisamos de um relógio, precisamos de uma camisa, certo? Tudo o que um novo designer ou um jovem projeta deve ser feito com a abordagem de que isso não prejudique o planeta. Isso é o que eu diria. E há maneiras de fazer isso".

 

GeneXus.com/LIVE